Projecto Gulbenkian

“Transição para a vida adulta e autodeterminação”

O projeto “Transição para a Vida Adulta e autodeterminação” resultou de uma candidatura a um programa gerido pela Fundação Calouste Gulbenkian com apoios de recursos públicos provenientes da Noruega, Islândia e Liechtenstein através dos EEA Grants – Programa Cidadania Ativa.Este projeto de que a ASSOL é entidade promotora, em parceria com o Pais em Rede e o ISPA, foi financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian (Cidadania Ativa).

Desenvolvido no ano letivo 2014/2015, tem como objetivo apoiar jovens em fase final da escolaridade obrigatória, com Currículo Específico Individual e Plano Individual de Transição ao abrigo do Dec-Lei 3/2008, a frequentar escolas públicas nos concelhos de Sintra, Odivelas; Viseu, Mangualde, Satão, Vila Nova de Paiva e Castro Daire; Amarante e Resende.

A partir da integração dos jovens na comunidade, o projeto tem como objetivos que: (1) os alunos adquiram competências práticas / funcionais em contexto real de trabalho (ao nível comportamental e de execução de tarefas); (2) a comunidade se sinta mais preparada e sensibilizada para receber estes jovens; e (3) haja um ajuste entre as expetativas dos alunos, da escola e da família relativamente às capacidades do aluno, e suas preferências.

Pretende-se que no final do projeto os Centros de Recursos para a Inclusão (CRI), mantenham este modo de funcionamento, pois consideramos ser um forte contributo para a inclusão de alunos com NEE na sociedade e uma resposta à medida da necessidade das famílias.

A disponibilidade que as empresas / serviços têm manifestado para a integração destes jovens, tem sido um fator de destaque.

No final do projeto será editado um manual de apoio a docentes e pais contendo a descrição da metodologia, instrumentos utilizados e os resultados da aplicação experimental.

 

17/4/2015

A ASSOL

 

FCG_PCA_grande